loading
  • No final de 2021, toda a linha de veículos comerciais terá versões com motorização elétrica;
  • Nove modelos ‘eletrificados’ nos segmentos mais importantes no final de 2021;
  • Em 2024, cada modelo Opel terá versão com motorização eletrificada.

 

A Opel continua a avançar nos planos de eletrificação da sua gama de modelos. Na intervenção que proferiu na Conferência SHIFT sobre Mobilidade, que se realizou no dia 4 de setembro em Berlim, na Alemanha, o CEO da Opel Michael Lohscheller anunciou que o fabricante alemão lançará uma versão do furgão Movano com motorização elétrica já em 2021. «Assim, já no próximo ano, cada modelo da nossa gama de veículos comerciais oferecerá uma variante elétrica», revelou Michael Lohscheller.

Em 2021 também chegará aos concessionários a versão eletrificada do Opel Combo. E o novo Opel Vívaro-e começará a ser entregue aos primeiros clientes já no início do outono deste ano. «A motorização elétrica é particularmente relevante no segmento dos veículos comerciais ligeiros», afirmou Michael Lohscheller. «Seja veículo de entrega ‘last mile’ ou transportador para o trabalho, com a nossa gama Combo, Vívaro e Movano, oferecemos a opção de circular sem emissões numa grande variedade de formatos

A Opel prossegue, igualmente, a sistemática e acelerada eletrificação da sua linha de modelos de passageiros. O Opel Corsa-e a bateria e o híbrido ‘plug-in’ Opel Grandland X Hybrid chegaram ao mercado no primeiro trimestre de 2020. O monovolume para a família Opel Zafira-e seguir-se-á em breve com uma versão totalmente elétrica a bateria. E o novíssimo Opel Mokka, que representa um novo capítulo na filosofia de ‘design’ da marca alemã, também estará disponível com uma variante elétrica a bateria logo desde o lançamento. Versões eletrificadas do Opel Combo Life e de um Opel Astra completamente novo surgirão no próximo ano.

«No próximo ano vamos oferecer na nossa gama um total de nove modelos eletrificados diferentes, que estão bem representados nos segmentos mais importantes», disse Michael Lohscheller. «Tínhamos prometido que a Opel vai ser elétrica e vamos cumprir. Estamos a assumir um papel de liderança em matéria de CO2. E em 2024 teremos uma versão elétrica em cada modelo da nossa gama

Com um plano consistente de eletrificação, modelos centrados no futuro e motores de combustão interna ainda mais eficientes, a Opel reduziu significativamente as emissões de CO2 no passado recente. A marca alemã já tinha reduzido em 20 gramas a média de emissões da frota no final do ano de 2019, por comparação com o final de 2018. Além disso, na primeira metade de 2020, a Opel logrou uma redução de 13,5 por cento nas emissões de CO2 dos seus veículos face ao mesmo período do ano anterior – a maior redução alcançada por um fabricante com pelo menos 2 por cento de quota naquele mercado.

O anúncio do Movano elétrico fixa uma nova etapa na ofensiva da Opel na mobilidade elétrica e na redução de emissões de CO2. Com o Groupe PSA e a Total, esta através da sua subsidiária Saft, a Opel assinou um acordo para a criação da ‘joint venture’ Automotive Cells Company. Esta parceria está na primeira linha mundial no que se refere a desenvolvimento e produção de baterias de alta performance para a indústria automóvel a partir de 2023. O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (R&D) localizado em Bordéus e as instalações-piloto em Nersac, ambos em França, já arrancaram, com o objetivo de desenvolver as novas tecnologias de iões de lítio de alto desempenho. No final desta fase de R&D, os planos contemplam o arranque de duas ‘gigafactories’, em Douvrin (França) e Kaiserslautern (Alemanha).

Refira-se que a Opel já instalou 350 carregadores para veículos em Rüsselsheim, cidade da sua sede.

Ir para o topo